OS MAUS E OS BONS NA FAMÍLIA

Os maus e os bons na família

por Bert Hellinger

Há algo mais a ter em conta. Algumas pessoas são excluídas de um sistema porque se diz que elas não são dignas, por exemplo, alguém que é jogador ou alcoólico, homossexual ou criminoso. Sempre que uma pessoa é excluída desta forma, por alguns dizerem “eu tenho mais direito a pertencer do que ele ou ela”, o sistema fica perturbado e faz pressão para que haja uma reconstrução ou reparação do mesmo. Porque aquele que foi separado ou excluído desta maneira, será imitado numa geração mais à frente por um descendente, sem que este se dê conta. Este descendente vai sentir-se como o excluído se sentiu, comportar-se como ele se comportou e frequentemente acaba como ele.

Joanna concejo Para isto há uma única solução. É necessário voltar a incluir no sistema aquele que foi considerado mau e reconhecer que ele tem o mesmo direito de pertença que os outros. E há que dizer-lhe: “cometemos uma injustiça contigo e temos pena de o termos feito”. Imediatamente será possível ver que é justamente da pessoa que tinha sido excluída que emana uma força grande e positiva para os descendentes. Essa pessoa torna-se uma espécie de patrono para eles.

Nas constelações familiares dá-se a curiosa observação de que em relação ao bem e ao mal, aquilo que se manifesta é geralmente o inverso daquilo que se apresenta. Aquele que é indicado como sendo o bom frequentemente se verifica ser o mau e aquele que é considerado o mau verifica-se que é o bom, de quem emana uma força positiva. Por esse motivo, só é possível fazer terapia sistémica quando os excluídos e os maus são tomados no coração e tratados com respeito. Estranhamente, no instante em que o faço ganho a confiança de todos os outros membros do sistema. Instintivamente sentem confiança em mim. Contudo, se eu me cinjo àquilo que ouço e digo ao cliente: agora diz ao teu pai ou ao teu tio de uma vez por todas que ele é um canalha, ou ao pai que abusou de ti que ele é um sujeito mau, já ninguém do sistema sente confiança no terapeuta. As soluções conseguem-se somente mediante o amor. Uma vez compreendidas estas dinâmicas, a única coisa que se pode fazer é trabalhar colocando o amor na dianteira.

 

Bert Hellinger InEl Manancial no Tiene que Preguntar por el Camino“.

Editora: Alma Lepik, Buenos Aires
Tradução do castelhano – Eva Jacinto

Ilustração de Joanna Concejo

Tagged , , ,

10 comentários sobre “OS MAUS E OS BONS NA FAMÍLIA

  1. Olímpia dos Reis Prado diz:

    Estou encantada com as propostas deste método, o amor é a base ,e o respeito é fundamental .

  2. Luiz Sérgio Gouvêa Rocha diz:

    Se em primeiro lugar, nos respeitarmos, podemos alcançar o respeito pelo outro. Acho muito nteressante a a Constelação Familiar, mas há 12 anos, conheci a homem desperto Sidarta Gautama e seus ensinamentos me foram muito úteis para a vida. Em primero lugar, pratiquei muito para o meu auto -conhecimento para que pudesse respeitar com amor e compaixão respeitar todos os seres, e a natureza.
    Muito abrigado,

  3. Luiz Sérgio Gouvêa Rocha diz:

    Sei dessas aituações, entre as pessoas da família, mas como aprendi sobre relações humanas com o homem desperto Sidharta Gautama, nossas vides dependem unicamente de nóa e quando estamos numa situação muito negativa conosco e com os outros, temos a possibilidade de treinarmos nossa mente para mudar essa situação ou não. Depende de cada ser humano.
    Muito obrigado.

  4. Lorena diz:

    Eu já participei de uma constelação e acontece o seguinte: o que vc não sabe é revelado pois o terapeuta descobre pela fala dos que estão presentes, indagando ele vai descobrindo as causas. E vai resolvendo. É muito legal. Foi bem difícil pra mim. Reconhecer que o sentimento de não pertencimento estava dentro de mim.

  5. Cleonice diz:

    E, se não conheço a história de quem foi excluído como considerar que estou repetindo as mesmas situações?

  6. Michele diz:

    Difícil ser colocado na família novamente, muitas vezes as feridas que a pessoas deixam não são fáceis de apagar, mas acredito no perdão e reconciliação, ser não houver nessa vida será em uma próxima.

  7. e para um pai que não ama e não sabe ser amado?

    • Maria do Rosário Andrada diz:

      Tem q se ver de perto cada caso. A pessoa da o que tem o que recebeu, o que tomou como de direito, e assim pode passar para frente, e ou para os seus…

  8. simoni diz:

    Acho que meu pai foi excluído do meu coração

  9. Maria Iolanda Pereira diz:

    Que informação importante, é verdade, Somente o amor constrói: confiança, amor respeito pelo outro.

%d bloggers like this: