Persistência do Passado

Georges Braque - head of a woman 1909

Georges Braque – Cabeça de Mulher, 1909

A humanidade nunca vive completamente no presente; nas ideologias do superego persistem o passado, a tradição da linhagem e da colectividade, os quais só gradualmente cedem às influências do presente, às novas mudanças; e enquanto esse passado opere através do superego, desempenha na vida humana um papel poderoso (…).

Freud, S. (1932-1936) – 31ª Conferencia: La descomposición de la personalidad psíquica. Obras completas, XXII. Nuevas conferencias de introducción al psicoanálisis y otras obras (Amorrortu, Buenos Aires, 1979-1991)
%d bloggers like this: