CRESCIMENTO PESSOAL

CRESCIMENTO PESSOAL

COMO CRESCEMOS

Por Bert Hellinger In El Amor del Espíritu. Un Estado del Ser (2009). Editorial Rigden – Institut Gestalt

Como crescemos? Como somos levados do mais pequeno para o mais amplo, da limitação para a totalidade? O processo de crescimento transcorre da seguinte forma: vamos incluindo progressivamente em nós próprios aquilo que anteriormente fomos marginalizando e não lhe permitimos espaço. Durante o processo, integramos o excluído e damos-lhe o lugar que lhe corresponde.

Tradução do castelhano por Eva Jacinto

Assistir ao vídeo

Tomar os pais sem os seus enredos

Tomar os pais sem os seus enredos

Tomar os pais sem os seus enredos

Comentário de Hunter Beaumont *

 

(…)

Louise Bourgeois, “Self-portait”, 1990

Quando julgas os teus pais e dizes “tu não és digno de ser o meu pai ou a minha mãe”, encontras-te sob o risco de meramente trocares um emaranhamento por outro. De modo a realmente envolver-se no processo de crescimento espiritual, precisas de deixar os emaranhamentos da tua família, mas precisas de te conectar com a fonte da vida com a verdadeira natureza das coisas.

Se conseguirmos aprender a nos desenredarmos daquilo que nos magoa e a conectar com os nossos pais como fonte de vida, então teremos todos os recursos da vida disponíveis. Os nossos pais são a nossa conexão à fonte da vida. Então, o movimento de desenredo exige conectarmo-nos aos nossos pais como fonte de vida. É um movimento complexo, mas não conheço nenhum outro movimento que resolva o problema.

Estranhamente, e tal como aqui vemos com frequência, o movimento é bastante fácil de fazer nas constelações.

 

* In Bert Hellinger, Hunter Beaumont (1999). Touching Love, Volume 2. A Teaching Seminar with Bert Hellinger and Hunter Beaumont. Heidelberg: Carl Auer System Verlag.

Tradução do inglês por EJ

 

O ÊXITO É SEMPRE NOVO

O ÊXITO É SEMPRE NOVO

A DETENÇÃO

Por Bert Hellinger *

 

Um movimento iniciado por nós detém-se mais cedo ou mais tarde. Chega ao seu fim. Frequentemente inverte-se até, movendo-se na direcção contrária. Aniquila aquilo que tinha alcançado. Por exemplo, um êxito que tenha ido longe demais, ao fim de algum tempo sofre uma reviravolta e converte-se no seu contrário.

Paul Klee
Paul Klee, This flower wishes to fade (1939)

Que significa isto para os êxitos da nossa vida? Prevemos o seu fim ou a sua inversão. Saltamos a tempo do comboio em marcha, antes que ele pare, e começamos de imediato algo de novo, desde o princípio.

Este novo também permanece apenas por um certo tempo. Também neste caso percebemos quando tenha alcançado o seu zénite e comece a reduzir-se o seu êxito e a sua significação. Soltamo-lo antes que o seu fim chegue e voltamos a começar de novo.

Quem não se detém nunca é o espírito. Todo o criativo nunca se detém.

Que significa isto para as nossas empresas? Que se renovam permanentemente e continuam a crescer. Não existem êxitos velhos, só existem êxitos sempre novos. Somente estes mantêm o impulso da nossa vida.

Aquilo que pretendemos eternizar e assegurar, encaminha-se previsivelmente para o seu fim. Mais ainda: retém-nos.

Este seria o outro significado de detenção. Deter e reter. Que actuação se anuncia, neste caso, para os nossos êxitos?

Enquanto ainda duram, libertamo-nos deles pelos êxitos que se vão seguir. Como? Olhando em frente, à frente deles enquanto ainda duram.

Algo semelhante ocorre com a nossa vida. No seu culminar, engendramos a nova vida que se seguirá à nossa, até que também esta, no zénite da sua vida, ponha em marcha o êxito seguinte, no qual continua a actuar e onde permanece.

 

* Hellinger, Bert (2011). Historias de Exito en la Empresa y el Trabajo. Editorial Rigden Institut Gestalt

Tradução da versão castelhana por Eva Jacinto

Imagem: Paul Klee – This flower wishes to fade (1939)

Mensagem para o Ano Novo

Mensagem para o Ano Novo

Satisfeito

Por Bert Hellinger In Pensamientos de Realización *

 

Satisfeito significa: estou em paz com o que tenho; estou em paz com o que me acontece; estou em paz com o que sou e como sou.

Satisfeito significa também: estou em paz com os outros, tal como eles são; estou em paz com o meio que me rodeia e em paz com o mundo tal como ele é. Mas principalmente estou em paz com a vida tal como ela me foi dada e em paz com o que ela me exige. E estou em paz com o que virá a trazer-me.

Assim satisfeito, encontro-me recolhido, recolhido em mim e recolhido em tudo tal qual como é. Assim satisfeito, estou na minha força e tenho força para estar em paz com tudo.

Satisfeito tenho poucas exigências. Porque haveria de as ter se tenho tudo? Só preciso de o ver e desfrutar. Que mais quero? Satisfeito tenho poucas expectativas em relação aos outros, apenas as tenho em relação àquilo que serve ao diálogo quotidiano e à felicidade do quotidiano.

Por isso os outros sentem-se seguros comigo, seguros com a sua própria felicidade e com aquilo que têm. Porque estou satisfeito, não necessito de lutar com ninguém. Por mim, pode ficar com o que tem e continuar a ser como é.

Em última análise, o que significa estar satisfeito? Amo a todos tal como são. Amo a criação tal como é. E amo-me tal como sou. Este amor está em consonância com a origem de tudo tal como é. Este amor é paz com Deus.

 

* Bert Hellinger In Pensamientos de Realización. Editorial Rigden Institut Gestalt.

Tradução do castelhano de Eva Jacinto

Imagem: Litografia “A Casa dos Espelhos”, Rogério Silva (2010)