SERENO, LIBERTO

Sereno, Liberto

 

Sereno é aquele que é capaz de soltar, por exemplo, uma preocupação, a revolta do coração depois de uma ofensa, uma humilhação, uma calúnia.

Sereno é também aquele que é capaz de deixar para trás velhos sonhos, velhas pretensões, velhas censuras, liberta assim o seu coração para que esteja sossegado, pronto e disposto para o possível e para o que se lhe oferece.

Sereno é também, portanto, aquele que perdoa, no sentido de “o passado, já passou”, sem guardar rancor por nada.

Esta serenidade é força sem emoção, disposição concentrada da alma para o que está para vir e para o agora.

 

Bert Hellinger In “Pensamientos en el Camino”. Editorial Rigden Institut Gestalt

Tradução do castelhano por Eva Jacinto

Edvard Munch: Summer Night on the Beach (1902)